terça-feira, 30 de Outubro de 2007

O Sagrado

Rudolt Otto


Rudolf Otto, nasceu a 25 de Setembro de 1869 e veio a falecer em 6 de Março de1937. Foi eminente teólogo, protestante alemão e erudito em religiões comparadas. Autor do livro: The Idea of the holy, publicado pela primeira vez em 1917 como Das Heilige (considerado um dos mais importantes tratados teológicos em língua alemã do século XX). Otto é criador do termo numinous, este termo exprime um importante conceito religioso da actualidade.
Na sua obra “O Sagrado”, publicada em 1917, Rudof Otto analisa a realidade apriorista do Numinoso, ou sagrado através dos elementos racionais e irracionais, cujos principais aspectos são descritos nas categorias do Mytetium Tremendum como Tremendum (arrepiante), Majestas (avassalador), Mysterium (o totalmente outro). O Numinoso é “fascinante” e “assombroso” a um só tempo.
A tese central do autor é a ideia do sagrado compreendido como algo divino.

O irracional no Sagrado (Numinoso)
O autor cria o Numinoso, derivado do termo latino numen, que significa deidade ou influxo divino. O elemento Numinoso pode ser identificado como um princípio activo presente na totalidade das religiões como portador da ideia do bem absoluto. Quando ele se refere ao “Numinoso esclarece que é uma categoria especial de interpretação, de avaliação, e da mesma maneira, de um estado de alma Numinoso que se manifesta quando esta se concebe como Numinoso” (Rudolf Otto, pag.15). Desta forma o Numinoso caracteriza – se como algo sui generis, não passivo.
A presença do numen desencadeia um estado de alma, uma reacção consciente que pode ser objecto de análises psicológicas ou fenomenológicas.
Os elementos que compõem a parte irracional do sagrado são descritos pelo autor a partir da reacção sentimental que vemos diante do objecto Numinoso, uma vez que este, pertence ao plano da experiência vivida na religião.
O numen, do divino, provoca uma reacção emocional denominada de estado da criatura ou sentimento do ser criatura. Neste momento estamos perante o mysterium tremendum, que é conjunto de sentimentos que correspondem à apreensão do numinoso. O elemento mysterium é a forma e conteúdo qualitativo é o tremendum pois provoca medo.
O mysterium, constitui o elemento primário e o sentimento de ser criatura é secundário. O mysterium gera três sentimentos: 1º o mysterium tremendum (causa calafrio) é muitas vezes descrito nos textos da bíblia, 2º mysterium (poder da majesta da divina), é a manifestação de Deus vivo na experiência religiosa, representa o ser superior, 3º energia do Numinoso (a orgê ou orgé), manifesta – se principalmente no misticismo e no amor. “O amor diz o místico não é mais do que uma cólera extinta”(Rudolf Otto, pag. 35). Sendo assim, o amor caracteriza – se como energia impetuosa de experiência religiosa, o qual provoca na alma um estado de excitação. Estes três elementos formam a qualidade positiva do objecto Numinoso, encontram – se num plano exterior a nós.

Rudolf Otto centra – se na concepção do sagrado como uma categoria a priori, de base Kantiana. Kant afirma que todo o conhecimento tem lugar no início da experiência, mas, para Rudolf Otto a fonte do conhecimento só existe na alma.

O Racional no Sagrado
O racional é algo que permite a compreensão directa do pensamento conceitual para se poder descrever as divindades, de modo a tornar- las claras e acessíveis ao entendimento comum. É aqui que entra o predicado racional, o atributo que convém como apoio, mas que seguramente não esgota o sentido maior do sagrado. Desta forma o elemento racional, o predicado, estabelece a ligação com o irracional.
No decorrer evolutivo da história das religiões foi acontecendo uma espécie de conexão entre os elementos do sagrado. O tremedum, elemento repulsivo, corresponde por meio dos conceitos racionais da vontade geral e de justiça da cólera divina. O elemento mirum, passa pela transformação no absurdo, o muirum é predicado racional das divindades ao mesmo tempo que é a reflexão sobre o absoluto ligado ao conceito de Deus.
A religião não é nem puro misticismo nem puro realismo, o sentimento religioso interage com a razão, como por exemplo na forma da língua conceitual que é empregada para exprimir a vivência, mesmo que não alcance a totalidade do objecto. O sublime caracteriza – se como uma categoria não passível de análise. Otto afirma que o sublime é o esquema do sagrado, pois a noção racional esquematiza o Numinoso irracional, partindo de uma necessidade externa e agindo no interno a priori, transcendental. No entanto, o estado da alma que a música proporciona, a forma como ela comove, não pode ser expressa por conceitos, mas interpretados por meio de analogias.
O Numinoso também tem expressão do Numinoso na arte é na arquitectura, fundamentada no estilo Gótico.

Os elementos do Numinoso
Um dos elementos do Numinoso é sentimento do estado de criatura «ou a reacção provocada na consciência pelo sentimento do Numinoso».
No Cristianismo podemos encontrar sentimentos que noutros estados se manifestam com menos intensidade, como por exemplo: sentimentos de confiança, de amor e de segurança. Mas estes sentimentos não esgotam a piedade e não traduzem ainda a solenidade, tal como aparece na vida religiosa.
Segundo Schleiermacher, o sentimento não é a sensação de dependência no sentido natural da palavra. Efectivamente ele distingue o sentimento de dependência religiosa de todos os outros sentimentos. O primeiro é absoluto e o segundo é crer no verdadeiro sentimento religioso por intermédio do sentimento de dependência. Desse modo o sentimento religioso seria, então, um sentimento de si próprio, contrariamente o sentimento de estado de criatura seria apenas um elemento subjectivo concomitante.
William James tomando como partido o empirismo e o pragmatismo é incapaz de reconhecer que existem no espírito deposições cognitivas e princípios geradores de ideias.

«Não temos de examinar aqui a questão da origem dos Deuses da mitologia Grega, Mas de todos os exemplos que citamos parece ressaltar esta conclusão: crê-se que havia na consciência humana o sentido de uma realidade, o sentimento e a ideia de algo que existe real e objectivamente».

Segundo Rudolf Otto, o sentimento Numinoso é o estatuto ontológico. O sagrado aparece-nos antes do ético e para além do racional, definindo a essência como Numinoso.

Sem comentários: